Pular para o conteúdo principal

Leonardo Ciuffo Duarte

Economista pela PUC/RJ, tem 47 anos, brasileiro, casado e natural do Rio de Janeiro/RJ.

Nos últimos anos tem se dedicado a projetos nas áreas de energia, com atuação em projetos termoelétricos e energia solar, bem como na modelagem financeira de refinaria de petróleo de pequeno e médio portes, cujo objetivo principal é a produção de bunker para atender a regulamentação IMO2020.

Atuou por mais de dez anos em gestora de recursos independente, atuando no mercado de capitais para projetos nas áreas de energia renovável, agroindústria e biocombustíveis, bem como participado na estruturação, colocação e gestão de fundos de private equity e crédito privado.

Anteriormente, na FGV Projetos, atuou como vice coordenador do programa de expansão da produção de etanol, visando sua exportação para o mercado japonês, para a Mitsui e Petrobras, tendo sido responsável pela avaliação econômica financeira e seleção dos projetos. Esse programa resultou na criação da Petrobras Biocombustíveis e no desenvolvimento de vários projetos de etanol. Ainda na FGV Projetos atuou na avaliação econômica financeira nas áreas agroindustrial, mineração e financeira, entre outros.

Na PricewaterhouseCoopers (PwC), como Gerente de Sustainable Business, seu foco da atuação foi no desenvolvimento da avaliação técnico financeira de projetos de redução de emissões de gases do efeito estufa nos setores de mineração, siderúrgico, papel e celulose, alimentos e agroindústria, tendo participado como palestrante e participante de diversas conferências sobre o tema para o mercado e para outros escritórios da PwC.

Leonardo iniciou sua carreira como economista no Instituto Brasileiro de Economia (IBRE)/FGV, atuando na elaboração de relatórios econômicos e avaliações financeiras. Integrou a equipe que desenvolveu o Guia de Orientação do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, bem como a proposta preliminar de especificação do Mercado Brasileiro de Reduções de Emissões (MBRE), sob o patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD). Fez também parte da equipe que, com base na proposta preliminar de especificação do MBRE, desenvolveu sua especificação para a Secretaria de Desenvolvimento do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.